logo psicologias online
logo psicologias online
A vida plena é algo associado ao conceito de saúde. Cada vez mais estamos focando em nos desenvolver ao invés de simplesmente tratar uma enfermidade. Uma vida plena é uma vida com mais positividade e significado. E é algo que devemos almejar se buscamos uma vida boa de ser vivida.
Fato curioso. Você sabia que existem hoje, aproximadamente, 11 milhões de pessoas no Brasil com depressão?

Em que pese este número espantoso fato maior curioso é que muitos destes não estão em nenhum tipo de tratamento. Geralmente pessoas que estão com depressão há bastante tempo ficam menos agitadas, ficam isoladas, dormem até tarde, muitas vezes ficam em casa grande parte do dia – ou mesmo o dia inteiro - e perdem o interesse em muitas coisas.

É como se o prazer que sentiam em pequenas coisas, como se alimentar, ouvir uma música ou assistir a algum filme diminuísse de forma brusca.

Talvez você conheça alguém que já tenha tido um comportamento similar. É importante orientar a busca por tratamento.

Porém, em geral, isso não é o suficiente. Isto por que elas estão comportamentalmente pouco ativadas. Ou seja, estão “paradas” e geralmente cansadas – sintomas sérios dos quais não conseguem se livrar com facilidade, ao contrário do que muitos acreditam ser uma “preguiça”. 

Além disso, usualmente há um forte sentimento de desesperança. Isto faz com que a pessoa acredite que aqueles sintomas não irão embora de nenhuma forma, ou ainda, que a pessoa é assim mesmo e que psicólogos e psiquiatras não poderão ajudá-las. Portanto, muitas vezes é necessário que outra pessoa seja ativa no processo de recuperação da pessoa com depressão: levando-a ao tratamento, motivando-a diariamente a seguir orientações, etc.  

Depressão: o que é, tratamento e estratégias 

Oito passos para viver uma vida com mais significado
Maria Cristina Lopes
A vida moderna muitas vezes também dificulta isso. Nossa comunicação acaba sendo por aplicativos, e não mais uma boa conversa. Nossos encontros se tornam mais difíceis. Mesmo a própria timidez e retração também podem ser prejudiciais em alguns momentos. Ir no contrafluxo pode ser muito benéfico. Promover encontros mais constantes e se manter em contato com as pessoas importantes se faz necessário. 

Fazer atividade física em grupo também pode auxiliar bastante em duas de ótimas estratégias de prevenção: desenvolver um grupo de apoio e exercitar-se. Caminhar com amigos ou mesmo fazer aulas em grupo pode ser uma boa pedida para a sua saúde emocional.

Isto se deve a um fator que é pouco conhecido da maioria das pessoas: a resiliência. Mas o que isso quer dizer, afinal? Resiliência é a capacidade de uma pessoa passar por situações difíceis e conseguir voltar ao seu estado normal de saúde mental. Basicamente é uma pessoa resistente aos desafios diários da vida. E sabemos bem que desafios são o recheio da vida. Por isso é necessário desenvolver a sua resiliência. 

Tornar sua mente forte é o desafio número um não apenas se quiser se prevenir de transtornos mentais, mas também se você quiser alcançar grandes coisas e ter um grande desenvolvimento pessoal. Obviamente quem quer subir terá que percorrer uma escalada árdua. E a resiliência irá auxiliar também neste aspecto. 
Para se tornar sua mente forte o segredo é ampliar: sua visão, suas fontes de prazer, seus relacionamentos positivos, sua realização pessoal e profissional, sua saúde, etc. A vida não ocorre da forma como planejamos simplesmente por que planejamos. Ela é uma onda constante de incertezas e mudanças. E o mais forte é o que se adapta e consegue manter-se com saúde frente a estas ondas de desafios.

Portanto, procure se adaptar e não simplesmente fugir dos seus desafios de vida. Se for este o seu comportamento habitual, é possível que esteja evitando a própria vida. E evitando situações desafiadoras que poderiam te trazer grandes frutos.

A psicologia se preocupa com aspectos comportamentais, emocionais, psicológicos, fisiológicos e neuropsicológicos. Com isso estuda a saúde e a doença mental. Por isso em casos de fragilidade comportamental, emocional, neuropsicológica ou psicológica é imprescindível procurar o psicólogo – profissional capacitado para te auxiliar.

Mas esta ciência também estuda a saúde. Por isso, em casos de prevenção, busca por desenvolvimento pessoal e profissional, escolha de carreira, busca por mais alegria e emoções positivas também é o psicólogo que irá te ajudar a alcançar coisas que a princípio poderiam parecer imagináveis.

O psicólogo é o profissional da vida!
rosto de homem
Uma das maiores dificuldades para se começar uma atividade física é a organização. Um dos maiores relatos de dificuldades na clínica é a em relação a modificar toda a rotina e se organizar para isso. Basicamente o que você está procurando é criar um novo hábito de vida. E simplesmente mudar sua rotina não é tarefa fácil. Por isso, comece pequeno. Você não precisa começar já com três dias de atividade física por semana.

Comece com um dia e em horário favorável. Algo que não exija tanto esforço. Por exemplo: se você mora próximo ao seu local de trabalho comece a ir caminhando. Ou leve os filhos até a escola andando. Ou ainda, se você mora em prédio escolha a escada ao invés do elevador. Como você pode ver existem inúmeras possibilidades. Para ser grande é preciso começar pequeno.

Outro fator que pode auxiliar na prevenção de muitos transtornos e sofrimentos psicológicos é desenvolver uma rede de apoio. É preciso desenvolver relacionamentos positivos com muitas pessoas e realmente contar com elas nos momentos difíceis. Às vezes temos bons relacionamentos, mas não aprendemos a fazer um pedido de ajuda. Ou mesmo a buscar por eles em diversos momentos. Seja, por exemplo, simplesmente bater um papo ou desabafar.
transtorno depressivo
estação de metrô com pessoas
pessoa amarrando o tênis
Orientação psicológica online
Cada profissional terá suas recomendações a serem feitas dependendo de cada pessoa. E muitos serão aqueles que recomendarão a atividade física. Ela pode beneficiar de inúmeras maneiras a curto, médio e longo prazo.

Talvez você já tenha ouvido que o exercício ajuda na prevenção de doenças cardiovasculares, ou que é eficaz para tratamento de obesidade e sobrepeso, mas as pessoas já estão percebendo que a atividade física ajuda a diminuir o estresse diário e prevenir contra sensações, emoções e pensamentos ruins. Chegando, inclusive, a produzir um efeito positivo em algumas pessoas: cultivar emoções boas e autoestima elevada. Talvez você mesmo já tenha conhecido alguém que relata sobre estes benefícios.

Agora você já tem mais um motivo para fazer atividade física! Lembre-se: a depressão é um complexo de sensações, pensamentos, comportamentos negativos e pode ocorrer com qualquer um em qualquer idade. Precisamos modificar a visão sobre a saúde emocional e buscá-la da mesma forma como buscamos saúde física: com regularidade, com ajuda profissional e pouca passividade. Já se convenceu a se agitar e fazer a fazer algum exercício? Corra pela sua alegria!
Você já pode imaginar como a depressão é ruim para quem sofre dela e para as pessoas próximas que veem uma pessoa querida passar por tudo isso. Devemos nos lembrar de que a depressão pode ocorrer com qualquer um e em qualquer idade. Precisamos cuidar da nossa saúde emocional.

Para isso é preciso prevenir-se.

A principal estratégia recomendada para a prevenção de sintomas de depressão é a atividade física. Exercitar-se pode ser ainda mais que cuidar do corpo: é cuida da sua saúde emocional. É cuidar de si!

Uma das estratégias que tem se mostrado mais eficaz na prevenção e em muitos casos também no tratamento da depressão maior é a atividade física. Ela produz mudanças neuroquímicas. Isso significa dizer que nosso cérebro fica diferente quando nos exercitamos. Nossos neurônios se conectam e interagem de uma determinada forma. E quando nos exercitamos é como se os neurônios interagissem de outra maneira.

Nosso cérebro é o centro de comando do nosso corpo, sensações, emoções e pensamentos. Ou seja, quando seus neurônios interagem de melhor maneira tudo o que ele comanda também melhora. 
Em casos mais graves esta pessoa pode relatar para colegas, amigos, parentes, professores ou pessoas próximas pensamentos ruins em relação a se ferir ou a não querer viver.

Isto é um pedido de socorro.

Pessoas em risco de suicídio geralmente relatam estes pensamentos três vezes antes de uma tentativa. Não deixe para a semana que vem. Relate o que ocorreu para pessoas que possam ajudar, e principalmente, leve-o a um psiquiatra em pedido de emergência o mais breve possível para medidas preventivas e início de um tratamento.

Em outras situações a pessoa em depressão tem aparentemente um comportamento normal, conseguindo exercer suas atividades diárias como, por exemplo, ir trabalhar, sair com amigos, namorar, etc. Diante deste quadro, sua vida permanece na rotina “normal” e há mais sintomas psicológicos que comportamentais.

Desta maneira, apesar de seu comportamento continuar normal, existem muitos sintomas pouco aparentes de ansiedade, pensamentos ruins e sensações desagradáveis. 
Apenas alguns minutos de exercício algumas vezes por semana podem ser uma diferença enorme para a prevenção da depressão. Você não precisa fazer exercícios todos os dias ou mesmo fazer um exercício de que não goste para se beneficiar do exercício físico para a saúde mental. Mesmo uma caminhada de 30 minutos 3 vezes na semana já pode ser muito benéfico.

Procure alguma atividade que se encaixe na sua rotina de vida e com a qual você consiga sentir prazer. Para muitas pessoas uma caminhada pela manhã com um amigo pode ser uma chance de colocar a conversa em dia. Para outros fazer uma aula de dança eleva a autoestima. E para famílias criar alguma atividade em grupo pode ser um bom tempo de qualidade entre crianças e adultos. Manter-se ativo é a chave!

Realmente, se exercitar pode ser muito eficaz na prevenção de muitos sintomas. Não somente para a depressão. A atividade física pode auxiliar também com a ansiedade e o estresse. Estes são grandes transtornos da atualidade. O mundo de hoje é o mundo da informação. Somos bombardeados de informações a todo o momento e nos condicionamos a também procurar por elas e não apenas nos manter passivos.

Se conseguimos alguns minutos livres procuramos novas informações pelo smartphone ou computador. Isso acaba gerando ansiedade constante e estresse. Nos prevenir deve ser a regra. Pois, afinal, você tem grandes chances de já ter sentido estresse ou ansiedade. Será que é o seu caso? 

Além de prevenção o exercício físico também auxilia a regular o sono. E um sono desregulado pode fazer surgir ou intensificar sintomas característicos da depressão, estresse e ansiedade. E o sono é algo que vem modificando muito no mundo ocidental por alguns novos hábitos, como, por exemplo, dormir com o celular do lado. Isso pode interromper o sono e dificultar o relaxamento.

Possivelmente se você vive em uma cidade grande, usa o transporte público e trabalha fora de casa você já sentiu grande carga de estresse. Se você ocupa um cargo de responsabilidades grandes você provavelmente também já sentiu forte ansiedade. E a atividade física não serve apenas para prevenir, mas também para diminuir muitos sintomas. 

Então, se você não tiver sintomas a atividade física é a estratégia para prevenção e se você já tiver alguns sintomas é possível que se exercitar faça seus sintomas diminuírem. 
e-book escolha sua vida
A depressão pode ter seu início em qualquer fase da vida, porém com uma probabilidade maior do início dos sintomas na puberdade atingindo seu pico de intensidade na faixa dos 20 anos. Mas não se engane, pois também é comum que o primeiro episódio aconteça com idade avançada. É um transtorno em que os sintomas são crônicos e muitas vezes se mantém estáveis durante muito tempo.

Um dos fatores que mais auxiliam na recuperação é a procura rápida por tratamento. Então anote: sua saúde mental importa. E procurar o psicólogo em casos graves ou buscando uma melhora é maravilhoso. Mas nada melhor que se prevenir e ainda buscar desenvolvimento pessoal. Portanto, vá ao psicólogo regularmente para cuidar da sua saúde emocional.

Você não imagina como pode se beneficiar! Mesmo aqueles que sofrem com a depressão há muitos anos também podem se recuperar dos sintomas. 
rosto de mulher de cabelos cacheados
mulher deitada cobrindo o rosto

Considerações finais

pessoas em aula de dança
nove dicas para aumentar sua autoestima

​A depressão é um dos transtornos psicológicos que causam maior sofrimento e com um tratamento mais extenso. Devido a complexidade de sintomas neuroquímicos, fisiológicos, comportamentais, emocionais e cognitivos o tratamento psicológico é, em geral, mais demorado.


O tratamento psiquiátrico usualmente também é necessário. Os sintomas mais característicos deste transtorno são: fadiga constante, sentimento de inutilidade ou culpa, perda ou aumento significativo de peso, humor deprimido (tristeza, vazio ou desesperança), diminuição de interesse ou prazer e concentração baixa.


Assim, contrariando o senso comum a depressão não é caracterizada apenas por tristeza. Há uma gama de sensações, sintomas comportamentais e psicológicos.

Sobre a autora: Maria Cristina Lopes é psicóloga e ajuda pessoas a ter uma vida mais plena. Se formou pela PUC-Rio, mestranda pela Universidade de Coimbra, com atualizações em terapia cognitivo-comportamental, neurociências, orientação profissional, psicologia do esporte e psicologia escolar.

Sobre o psicologias online: somos uma plataforma que conecta pessoas a psicólogos almejando uma vida plena. Buscamos soluções psicológicas online para nossos clientes: uma visão atual e fácil para você atingir um desenvolvimento pessoal. 
Em concordância com isso existem muitos tipos de pensamentos ruins durante a depressão. Este transtorno pode fazer uma pessoa acreditar que é culpada por se sentir daquela forma, ou mesmo, pensar que mereceu sentir-se assim. Não só os sintomas aparentes importam. Pensamentos podem ser jaulas que impedem de buscar ajuda.

A desesperança é outro mal que restringe possibilidades de melhora. Em muitos casos a pessoa em depressão acredita não haver nenhuma esperança para ela. Por que afinal, aquele sofrimento já está com ela há muito tempo. Este pensamento não está em concordância com a realidade. Ele ignora que existem muitos tratamentos que ainda não procurou.

Um dos sintomas complicados da depressão é a falta de ativação comportamental. Quando a pessoa fala pouco, se movimenta pouco, quase não sai de casa se torna um grande problema e pode atrapalhar muito o tratamento. Isso varia de caso para caso. Para muitas pessoas em depressão a primeira coisa a ser trabalhada é ativar o comportamento: conseguir fazer com que ela faça mais coisas no seu dia. Par isso cria-se uma rotina de comportamentos.

Já para outros pacientes é preciso em primeiro lugar um tratamento medicamentoso e somente após isso fazer efeito é recomendável ativar o comportamento. Lembre-se: cada pessoa é única. E não existe depressão igual a outra. Cada um sente da sua maneira. Cada um tem seus próprios pensamentos e sensações. E dessa forma, cada pessoa terá orientações específicas de acordo com seus sintomas e realidade de vida!
resiliente: um coração inabalável
rosto de mulher sorrindo
mulheres sorrindo